2 de maio de 2007

LOUCURA DE VIDA



Que devaneio nesta loucura de vida!
tudo se turbou,tudo se acabou.
Que loucura ter de vivê-la...
Porque tem ela de ser tão sofrida.

Portanto por ela vamos passando...
Como raios perdidos no céu...
Passamos voando...
Mesmo assim somos sempre o réu!

Juizes...!em cada canto que passamos
Os encontramos julgando...
E tudo julgam!...
Mas apenas...continuam falando!

E os doutores onde estão?
Pois tanto juiz!...Tanto julgamento
Tanta alma doente
Venham curar o ferimento!...



SOL

2 comentários:

efeneto disse...

Olá amiga, que nuvens negras andam a povoar essa cabeça e ideias. Poema carregado de pessimismo e negrume. Um pouco mais de "cor-de-rosa" nessas ideias não faziam mal nenhum. Beijo amigo do amigo...efeneto.

manuela disse...

Poemas vividos e sofridos, assim é o viver...e com os quais me identifico bastante...mas há sempre uma réstia de esperança não há? estou muito feliz por constatar que a tua poesia vai,em certos aspectos, de encontro ao meu pensar e por me ter sido permitido pelo nosso amigo conhecer-te...uma noite doce...