19 de outubro de 2007

UM VELHINHO

Um velhinho que passa...
Já trôpego, pelo cansaço pela idade.
Vê seu fim aproximar-se e...
Relembra quando era pequenino
Quando em criança...ria, brincava, saltava!
Corria sem cansaço algum e...
Entre lágrimas hoje...
Quando uma criança encontra
Seus olhos nos dizem...
Tempos que já lá vão...!!!
E ele sonhou tanto...
Hoje porém...
Vê-se só e perdido num recanto da vida
Viu seus dias passarem...
Seus sonhos aumentarem e...
Viveu do sonho que...
Nunca descobriu qual era...!
Mas era um sonho...
Um sonho de fantasia
Não o viveu...!!!mas com ele morreu!

Sol


8 comentários:

jguerra disse...

Infelizmente, acontece a muitos, mas ter recordações de coisas boas, deixa qualquer um mais feliz.
Abraço e bom fim de semana.

Vieira Calado disse...

Os sonhos morrem sempre connosco.
não dá para os deixar aos herdeiros...
É a vida...
Bem haja.

Olhos de mel disse...

O doce Sol, infelizmente faz parte da vida. Mas apesar de tristes versos, você o escreveu com uma ternura enorme! Lindo!
Que sua semana seja feliz e cheia de realizações!
Fique com Deus!
Beijos

Whispers in night disse...

Ola!
que poema lindo, a vida e assim vimos a passar chegamos la a velhice.
Algo que me mete medo chegar la...
beijinhos mil
whispers

efeneto disse...

...toda a beleza e sensibilidade que vai dentro do seu coração aqui expressas por estas palavras. genial e soberbo. Parabéns...um beijo de amizade.

O Profeta disse...

Venho deixar-te duas gotas de puro orvalho
recolhidas na lagoa, três folhas de mandrágora
e o feitiço da lua que aprisionei no meu querer…

Sei que lhes vais dar bom uso

Doce beijo


Mágica noite

GarçaReal disse...

A vida escorre entre os dedos.

Não sabemos agarrá-la.Quando o fazemos é tarde....



bjgrande

efeneto disse...

Amiga Sol, fiz um pequeno balanço e tenho lá uma coisa para si, quando puder vá ao meu "Grito". beijo amiga.