13 de junho de 2010

NO RECONDITO DE MEU SÊR...

No recôndito mais intímo de meu sêr...
Em meus sonhos cheios de devaneios
Te queria encontrar...
Os anos a passarem...a vida sempre triste a divagar
Nesse mesmo recôndito...
te esperava...mas nunca te soube imaginar
eras alto?...pequeno?...gordo?...magro?...

Hoje me apercebo que isso nunca me preocupou...
Apenas queria aquele pelo qual meu coração
fortemente fatesse, que um e outro se entendesse
Que o AMOR...a PAIXÃO...prevalecesse
Ter uma paixão linda...com ela viver e...com ela morrer...
Hoje ao conhecer-te
...lembranças esquecidas
no fundo de um velho baú guardado tantos anos...
fui buscar-las e, curiosamente..estavam embrulhadas
em papel...de um azul celeste maravilhoso
...atado com uma fita prateada
Logo pensei: Chegou a HORA de o abrir...
Aí...meu coração disparou!...eras TU que lá estavas...
OBRIGADA MEU AMOR POR EXISTIRES
TE AMO!.....
SOL


19 comentários:

sonho disse...

Ai esta a prova que o amor não se procura...ENCONTRA SE...:)
Beijo d'anjo

Moonlight disse...

Querida Lua de sonho,

Quando nos sentamos sossegadamente,sem nada esperar ele nos encontra e presenteia com o mais lindo dos sentires.
Seja muito feliz.

Bjinho cheio de luar

poetaeusou . . . disse...

*
adorei o teu post,
,
no ser do meu ser,
não sou o que pareço !
,
conchinhas luzentes,
deixo,
,
*

tossan® disse...

Linda poesia! Não sei para onde vou e quem encontrarei.

RETIRO do ÉDEN disse...

Muito belo tudo por aqui.
Impera a beleza e originalidade.
Palavras bonitas, sensíveis e reais.
Bem-haja por ter visitado o "retirito"
Fiquemos com ELE.
Forte abraço
Mer

AFRICA EM POESIA disse...

lua prateada

um beijo enorme que o raio de sol...ilumine tudo.


um beijo vou voltar

Pelos caminhos da vida. disse...

Um lindo poema.

beijooo.

Vieira Calado disse...

O que vamos encontrar, amiga,

em baús fechados ao tempo!...

Saudações poéticas

Fa menor disse...

Quando se tiver de desatar o embrulhinho, desata-se... et voilá!

Por vezes, em baús fechados, encontramos o que andamos à procura por longe, e, noentanto estava tudo tão guardadinho e arrumadinho à espera de um pequeno gesto!

:)

Bjos

gota de vidro disse...

Muito bonito o que encontraste.

Belo o teu poema

Bom fim de semana

bjito da gota

Vieira Calado disse...

Vim espreitar a ver se havia novidade...

Bom resto de fim de semana.

Bjs

A Palavra Mágica disse...

Sol,

Não adianta querer urgência, nem querer adiar o tempo.

O amor sabe a hora exata de se revelar.

Um beijo e seja feliz!
Alcides

Carla disse...

lindas estas palavras de paixão
beijo doce

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

é o maro fazendo suas vitímas

Sonhadora disse...

Minha querida
Um belissimo poema, adorei.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

luar perdido disse...

O amor, simplesmente aparece quando é a sua altura, podemos busca-lo a vida inteira, ele só será o AMOR verdadeiro quando chegar a sua hora, o seu momento.
Lindo poema, lindo um amor assim.

Beijos de luar tecidos

Dois Rios disse...

Minha querida,

O amor está sempre à espreita. Basta que o permitamos em nossas vidas e, então, ele acontece.

Beijo,
Inês

Multiolhares disse...

Tudo pode acabar menos a guerreira que há em nós
Bj

Poeta Solitário disse...

Olá nova amiga...

Desculpa ter comentado por várias vezes o teu blog..
Tudo o que aqui deixei foi escrito por mim, adoro escrever sou realmente um vicíado....

Este já o escrevi há algum tempo, sabes que ao ler o que escrevemos sentimos saudade da vida e do passado, escrevo de coração e com o sentimento do momento....

Com a força de um desejo


Com a força do desejo
Sinto em meu coração
A força da tua mão
A suavidade da tua pele
O desejo é uma loucura
E é isso que perdura
A beijar-te de emoção
No sofá velho, à lareira
Ou a rebolar pelo chão


Envolvendo-te em meu Quadril
Acende a força do meu desejo
Nos beijando ao espelho, vejo
Não me deixo ficar mal
Iludido por esta urgência
Somos dois, tu e eu
Não estamos na dependência.


Ao ritmo Alucinante
Fazendo amor com carícias
Completando nossas delicias
Naquele desejo animal e louco
Paramos e pensamos um pouco
E sentimos lá bem no fundo
Estávamos os dois necessitados
De um carinho gostoso e profundo.


O Poeta Solitário